terça-feira, 20 de setembro de 2016

Ilhada d'ouro

Boas Pessoal!

Uma pesca ilhada combinada com o manolas Nuno Caçorino onde capturei o maior exemplar ilhado ate a data... Um peixe com 2.300kg bastante difícil de trabalhar a pescar com 0.28 nestas condições, no meio de pedras bastante afiadas, carregadas de mexilhão e percebe. Foi crucial a ajuda do Nuno para a ir buscar o peixe já a seco no caneiro onde a consegui encalhar, pois esta não dá para elevar!

Menina 2.300gr

Kileira e Bi kileira

As previsões nunca seriam de peixe de boa bitola, mas mesmo nos Sargos, tiramos muitos a passar bem o meio kilo e alguns tantos a roçar o kilo senão ultrapassaram! Foi uma bonita pesca conjunta para mais tarde recordar!

Pescaria


Um abraço a todos.

terça-feira, 30 de agosto de 2016

Sargos relâmpago

Boas pessoal,

Os que aproveite

Numa pesca relâmpago aos Sargos, combinada com os suspeitos do costume no dia anterior, o peixe não era muito mas deu para passar um bom momento entre amigos e libertar o stress de mais uma semana intensiva de trabalho com o calor do Algarve.
Foi pena não haver mais peixe, Ainda antes da maré virar, saltámos pedra fora e fomos pro café beber umas bjecas e comer um bom petisco...

Petisco



Saudinha a todos!

 

domingo, 14 de agosto de 2016

Espetada mista

Boas Amigos,

Caça Submarina

Num dia em que apanhei o melhor mar possível, apesar dos desafios para pescar ilhado, consegui resistir à pressão e fui recompensado com esta pesca. Fica o registo da espetada mista que fiz à caça enquanto os amigos Marafados estavam em cima da pedra ilhada a pescar perto de mim. Ainda fiz uma pausa com o Nuno e o Mestre Vitor(grande caçador sub) para relaxar e meter a conversa em dia. Voltei a água e depois de falhar alguns bons peixes, desta vez deu para trazer duas das espécies que mais me dá prazer de comer.

No pesqueiro
 

 Bronze de pescador, nem pareço viver no Algarve!

Obrigado a todos!

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Pequena aberta de mar

Boas amigos e leitores,

Com a entrada dos agostinhos no Algarve, as investidas acalmaram um pouco pois o transito na N125 não ajuda, mas aproveitando ali uma muito ligeira queda de mar na nossa linda costa, lá combinámos ir dar a barbatana para dentro de água e remar até uma pedra ilhada que já nos deu umas alegrias no passado.

Matinha

Entrada pacifica na pedra e fomos todos a procura do petisco a ver se ainda sobraram algumas unhas das boas, mas a nesta altura do campeonato parece que elas tem pernas para fugir... Deu apenas para levar o lanche!!

Às Unhas
  
Aos Sargos, fizemos uma pesca agradável, não foram muitos mas para esta altura do ano ainda encontrei um ou outro na bitola do kilo e como a arca em casa está cheia, houve muito peixe devolvido por parte dos três pescadores deste dia. Depois da maré atascada saltámos da pedra e fomos tirar o salitre dos beços como é de costume!

Dúzia Sargos

Saudinha amigos, desfrutem das férias e se possível apelem sempre ao próximo, para não rapar tudo o que há nas nossas praias.

segunda-feira, 18 de julho de 2016

Uma mão cheia

Boas amigos,

O mar caiu muito a Norte e uma quebra destas é que eu não podia deixar fugir a hipótese de ir correr atrás de uns peixes nas pedras que eu mais gosto. A táctica era fácil, abalar a meia maré para fazer o final da enchente e mais uma horinha de inicio de vazante.
Ah hora marcada lá estava eu no cimo da falésia a ver o mar, o vento era mais do que anunciavam mas como nesta caso não incomoda nada, foi só vestir a correr e descer falésia a baixo para dar um mergulho.

Uma piscina azul

 Caçar a norte é completamente diferente, é mais cansativo, o mar mais picado e com mais corrente mas é muito mais fácil encontrar peixe de qualidade em zonas baixas. Deu para ver uns peixes jeitosos, deixar fugir alguns, e até falhar tiros fáceis, mas com alguma insistência lá consegui trazer meia dúzia que mereceram levar o tiro certeiro.


terça-feira, 12 de julho de 2016

MIsta para todos os gostos

Boas pessoal,

Este foi mais um episódio da minha aprendizagem na caça submarina em que ainda fui ver o mar ao Norte, mas apesar de pequeno ainda tinha uma boa embalagem que não valia o esforço de descer a falésia para ir lá para baixo andar a cabeçada com as pedras. Sem perder tempo fiz-me ao caminho para Sul onde fui a procura de um pesqueiro novo para mim.

 Foi parar o carro e começar a vestir que com tantas voltas já ia atrasado lá para dentro. Esta foi a vez que estive mais tempo dentro de agua, cada vez me sinto melhor e mais confortável e a cada mergulho regular sente-se uma maior e melhor evolução mesmo que a ceira venha vazia para casa. 

Mista

Não foi o que aconteceu desta vez, já que consegui apanhar desprevenido um Sargo jeitoso a passar o meio kilo que andava por lá a mariscar numa pedra. O resto veio por acréscimo para o petisco!  

Mariscador desprevenido

Saúde da boa a todos e força Portugal!